Home / Notícia / Apesar da promessa de Temer, Forças Armadas temem não ter combustível para atuar nas rodovias

Apesar da promessa de Temer, Forças Armadas temem não ter combustível para atuar nas rodovias

A decisão do presidente Michel Temer de acionar as forças federais para desobstruir as rodovias federais gerou preocupação de militares nos bastidores.

O motivo: temem que as forças não tenham combustível suficiente para agir nas ruas por vários dias seguidos.

O presidente Temer, ao decidir usar as forças federais, ouviu general Sérgio Etchegoyen, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência, e o ministro Raul Jungmann, do Ministério da Segurança Pública – mas não ouviu o conselho da defesa.

Por isso, Temer está sendo criticado nos bastidores por grupos que integram as forças federais, que incluem Exército, Marinha, Aeronáutica e Polícia Rodoviária Federal (PRF).

A informação é do portal G1.

Sobre RedatorJornalivre

Leia também

Historiador apela ao bizarro e sugere leis para dificultar saída de jovens craques do país

Enquanto muitos discutem se a torcida “está ou não ligada na seleção” – que estreou …

Um comentário

  1. 1) O que o Brasil está vivendo agora é quase uma situação de guerra.
    De um lado, a maioria da população que estuda, trabalha e paga impostos, além dos milhões desempregados e subempregados que lutam como podem para sobreviver.
    De outro, caminhoneiros insaciáveis, mesquinhos e chantagistas que bloqueiam estradas e impedem deliberadamente a ida de combustível a aeroportos e postos e o transporte de gêneros alimentícios, entre outros produtos, criando pânico e histeria coletiva (por causa da possível falta de alimentos) pelo terrorismo.
    2) Pois o presidente Temer e o Alto Comando das Forças Armadas deveriam fazer como fizeram norte-americanos, ingleses e franceses em 1948, quando a URSS decretou o Bloqueio de Berlim Ocidental: uma colossal ponte aérea com o propósito de levar combustíveis, alimentos, remédios e outros produtos essenciais aos moradores daquela cidade.
    Naturalmente, o enorme Brasil não seria totalmente atendido. De início, apenas as capitais e cidades mais populosas – de preferência aquelas próximas a refinarias da Petrobras.
    Além de pontes aéreas, realizar comboios terrestres e marítimos para burlar a ação terrorista dos caminhoneiros subversivos e chantagistas.
    A falta de combustíveis para veículos militares, aviões de carga e navios de transporte é mais fácil de ser resolvido, porque as Forças Armadas podem obter o que precisam nas refinarias da Petrobras.
    3) O que não se pode é transformar esses caminhoneiros em heróis nem dançar conforme a música deles.
    Eles são simplesmente chantagistas mesquinhos que exigem benefícios exclusivos e que desejam ser mais uma casta de privilegiados, como as inúmeras que existem no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *