Home / Notícia / Após afirmar que "todo branco é racista", modelo trans e "símbolo da diversidade" é demitida pela L'oreal

Após afirmar que "todo branco é racista", modelo trans e "símbolo da diversidade" é demitida pela L'oreal

Informa o jornal O Globo:

primeira modelo transgênero a fazer parte das campanhas da marca de cosméticos L’Oréal, Munroe Bergdorf, foi afastada pela empresa após uma publicação em que ela escreveu um post afirmando que todas as pessoas brancas são racistas. Segundo a companhia, o comentário está em desacordo com seus valores e, por isso, a parceria que haviam estabelecido foi encerrada. Munroe respondeu ao episódio em seguida e afirmou, em suas redes sociais: “Acabo de saber que me tiraram. Vocês estão provando que tudo que disse é verdade”. A modelo prosseguiu comentando o caso: “Honestamente, eu não tenho mais energia para falar sobre a violência racial cometida por pessoas brancas”.

Para piorar ainda mais a situação, a modelo seguiu com comentários racistas contra pessoas brancas. No Twitter, ela disse:

“É um sistema marcado pela supremacia branca, designado para beneficiar, dar prioridade e proteger pessoas brancas antes de qualquer outra raça.”

Para não variar, esquerdistas deram total apoio a modelo e criaram, no Twitter, a hashtag “#boycottLOreal” (boicotem a L’Oréal) como forma de apoiar a modelo.

A empresa, em um comunicado, fez a coisa certa reforçou que apoia a diversidade e a tolerância, independentemente de raça, gênero e religião: “Acreditamos que os comentários recentes feitos por Munroe Bergdorf estão em desencontro com esses valores. Assim que tomamos a decisão, terminamos a parceria com ela.”

Sobre RedatorJornalivre

Leia também

Propina da Odebrecht para Dilma teve aval de Lula, diz delação

O Refis da Crise, segundo Marcelo Odebrecht, rendeu 50 milhões de reais em propinas para …

16 comentários

  1. Parabéns L’Oréal, sua atitude em demiti-lo está pessoa . Ele teve uma chance única em sua vida .

  2. Racista é esta modelo frustrada. Parabéns L’Oréal, sua atitude em demiti-lo está correta, não soube nem ao menos valorizar a empresa que a contratou, se fossem racistas e preconceituosos, nunca a teriam contratado. Bicho burro

  3. Isso só mostra quem é racista de verdade. No Brasil não tínhamos racismo antes de serem criadas as cotas raciais, essa mentalidade de esquerda só serve para incitar discórdia na população.

    • Oi, Solange.
      Concordo com você em partes, realmente a criação de cotas aumentou o racismo, e o racismo não é só por parte de brancos, ele existe em todas as etnias. Como sei que é uma pessoa inteligente pelas suas observações, peço que reflita um pouco. Se não houvesse as cotas, não daríamos chances as pessoas que piores condições de estudar em uma universidade. Concordo com você que não deveria ser cota racial e sim para os pobres, pois vejo que muitas vezes esquecem que nas favelas tem gente branca também, eu por exemplo, venho de família pobre, meus pais moraram em um cortiço, que era a favela na época deles, estudei bastante com muito sacrifício, porém não posso deixar de reconhecer que muitas portas foram abertas pela cor da minha pele, sou branco de olhos azuis. Não ao racismo, não a centralização de renda, não a cotas para quem não quer estudar. Na USP tem muito cara com condições, que vão para lá, gritar por Cuba e fumar maconha.

  4. TERESINA S BENEDITO

    SABEMOS QUE TEM RACISTAS MAS ISTO NÃO SEGNIFICA QUE SEJAM TODAS AS PESSOAS,TANTO É QUE ELA COMO TRANS ESTAVA TRABALHANDO NUMA GRANDE EMPRESA,COMO UMA MULHER NEGRA ACHO QUE NÃO É DESTA FORMA, EXPRESSAR NOSSOS PENSAMENTOS E INDIGNAÇÃO.

  5. só rindo mesmo desta infeliz, ela não merece mais do que boas e sonoras gargalhadas..

  6. A L’Oreal tomou a atitude correta diante do racismo explícito da modelo.

  7. 1) Se a L’Oréal fosse racista, o/a modelo citado/a não teria sido contratado/a.
    Portanto, a narrativa choraminguenta não tem base alguma.
    2) Não é qualquer mulher que se torna uma L’Oréal Model. Mesmo entre as supermodels deve haver uma competição acirrada para conseguir esse trabalho.
    O ser humano (é homem ou é mulher?) Munroe Bergdorf deve ter arrumado outro serviço melhor remunerado, para desprezar a honra de vincular sua imagem a uma empresa poderosa, insultar seus ex-chefes e quebrar um contrato de milhões de euros.
    Naturalmente, a causa esquerdista racista que defende é mais importante para esse ser humano engajado do que a fortuna pessoal.
    Aliás, a quebra de contrato por justa causa obriga a devolução do pagamento feito pela L’Oréal à agência de modelos onde está vinculado o reclamante (ou “a reclamanta”)?
    Sabe como é: dinheiro de “brancos racistas” não pode ser aceito por esquerdistas extremistas.

  8. maria de lourdes bortolatto

    Reclamam tanto de racismo, mas é impressionante como fazem campanhas contra seus propósitos. Estratégias erradas quando atacam para se defender.

    • Reclamam tanto de discriminacão mas são os próprios que fazem campanha para o assunto vir a tona.

  9. Esse pessoal (filhos de chocadeira…ou filhxs de chocadeirx, sei lá) tá saindo tudo da linha de montagem sem ridiculômetro e com a cavidade craniana cheia de estrume. É complicado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *