Home / Notícia / Engenheiro agredido por bolivarianos de Lula denuncia: "Estamos em um país como a Venezuela"

Engenheiro agredido por bolivarianos de Lula denuncia: "Estamos em um país como a Venezuela"

Herbert dos Santos Matos Júnior, engenheiro civil de 53 anos, funcionário da Caixa Econômica, foi espancado por seguranças do criminoso Lula, no último fim de semana em Teresina. Ele falou exclusivamente com o site O Antagonista. Confira a reprodução da matéria:

Herbert contou que é sócio da Apcef, o clube onde foi realizado um jantar com o ex-presidente. No dia do evento, pela manhã, Herbert foi à diretoria para saber quem estava pagando tudo aquilo: “É um direito meu como sócio ter essa informação”.

Representantes da diretoria pediram que ele fizesse o pedido por escrito, mas adiantou que “uma empresa pagou adiantado” o aluguel do espaço.

À noite, Herbert se aproximou de Lula com seu celular em mãos e perguntou ao petista como “um criminoso” estava pagando a tal caravana pelo Nordeste e onde estava o dinheiro desviado dos fundos de pensão, incluindo da Funcef.

“Aí eu só sei que levei muita pancada, de todos os jeitos. Não me lembro direito porque perdi a consciência. Mas testemunhas disseram que foram quatro ou cinco seguranças que me agrediram com socos e pontapés. Depois, me arrastaram e me jogaram na calçada, fora do clube.”

O celular do engenheiro sumiu. A polícia, que estava por perto, nada fez.

Levado a um hospital particular por familiares que foram acionados por pessoas que passavam pelo local, ele ficou um dia em observação na UTI. Com ferimentos por todo o corpo, foi diagnosticado com concussão cerebral, lesão que afeta todas as zonas do cérebro. Está medicado e em repouso absoluto. Só saiu de casa para registrar o boletim de ocorrência.

“Fui agredido por bolivarianos. Estamos em um país como a Venezuela. Os brasileiros ainda não entenderam. A situação é séria. Estamos lutando contra uma quadrilha internacional, não é só nacional. Eles estão engajados em todas as áreas.”

Herbert concluiu:

“A luta é pesada. Estou extremamente preocupado com o nosso país. Mas estou forte e disposto a ir até onde eu puder para ver a ética e a moral prevalecerem no Brasil.”

Fonte: Exclusivo: “Fui agredido por bolivarianos. Estamos em um país como a Venezuela” – O Antagonista

Sobre A Redação

Leia também

Juíza Carolina Lebbos enterra estratégia do PT

Como todo integrante da massa carcerária entregue aos cuidados do Estado brasileiro, o ex-presidente Lula obedece a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *