Home / Notícia / Estadão diz que governo e centrais negociam imposto sindical ainda maior

Estadão diz que governo e centrais negociam imposto sindical ainda maior

Embora o imposto sindical esteja com os dias contados devido à reforma trabalhista, a contribuição que os trabalhadores dão aos sindicatos tende a aumentar. Em vez do desconto de um dia de trabalho por ano (cerca de 4,5% de um salário), esse valor será decidido por assembleia, sem teto definido. Duas das principais centrais sindicais do país (Força Sindical e União Geral dos Trabalhadores) defendem que o percentual destinado ao financiamento dos sindicatos pule para 6% a 13% da remuneração do trabalhador. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A “contribuição por negociação coletiva” também é apoiada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), que ainda não informou que percentual defende. A CUT faz oposição ao governo Michel Temer e não participa das discussões por considerá-lo ilegítimo. O presidente da UGT, Ricardo Patah, defende 6% de um salário. “É um valor equilibrado que poderia ser dividido em 12 vezes”, afirmou o sindicalista ao Estadão. O imposto sindical será extinto em novembro.

Segundo o jornal, Temer informou às centrais que o sucessor do imposto sindical será regulamentado por medida provisória sem estipular que valor deverá ser pago pelo trabalhador, inclusive aquele que não é sindicalizado. Pela proposta em discussão, o percentual a ser cobrado será definido na mesma ocasião do dissídio coletivo, o momento em que empregados e patrões negociam o reajuste anual de salário.

As informações são do portal Congresso em Foco.

Sobre RedatorJornalivre

Leia também

PT quer fazer “controle social” do Judiciário

Fernando Haddad segue sua jornada de entrevistas como dublê de coordenador de programa de governo …

6 comentários

  1. Se ele fizer qq nova”contribuição” esta provado que o espirito PT continua,i.é, o povo que se dane, o que importa é o poder.

  2. Pode até soltar a MP. Vai ser derrubada, tanto quanto o Decreto 8.243 o foi.

  3. Na minha opinião,nós temos que ser consultado se queremos o desconto se queremos ser sócio de sindicatos que tipo de sindicatos queremos. pois o desconto é dos nossos salários o governo federal ,os sindicatos e outras instituições que se diz defender os interesses dos trabalhadores não os faz o que mais ver é tudo em defesa própria. Na verdade eu vejo como a “CUT,A FORÇA SINDICAL E OUTRA CENTRAIS SINDICAIS “fazem a política partidária e não sindical à última greve que eu vi ser feita foi a dois petroleiros em 94 depois quer o Lula foi eleito as centrais sindicais só trabalharam em função do governo federal e esqueceu o seu verdadeiro papel perante os seus associados e seus outros trabalhadores não associados que pagam o imposto iqualmente ao sócio. e tem mais ainda tem sindicatos que cobra o imposto sindical a mensalidade sindical e a contribuição assistencial do não sócio,é por isso que defendo a consulta aos trabalhadores se eles querem ou não os descontos

  4. Pedro Alcantara

    Os Sindilixos, vão golpear o trabalhador e o empregador, vão fazer ASSEMBLÉIAS, com uma MINORIA JÁ PROGRAMADA COMO SEMPRE E ESTA MINORIA, VAI DIZER SIM A UM SUPERIMPOSTO ONDE ATINGIRA A GRANDE MAIORIA INOCENTE QUE REPUDIA ESTES PARASITAS, UM GRANDE GOLPE, MAIS UM GOLPE E PIOR POR PARTE DE SINDILIXOS QUE SE ENCOSTAM PARA MAMAR DE GRAÇA.

  5. O Temer quem que ferrar são esses sindicalistas que estão nas ruas quebrando tudo exigindo sua saída da Presidência para tentarem enfiar o Lula a todo custo, não o povo que só pelo fato de irem ás ruas pedir sua saída já o está apoiando, a gente ajuda o Temer e quem leva a borrachada somos nós.

  6. Trabalhadores de verdade, tem que se mobilizarem contra qualquer tipo de contribuição para sindicatos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *