Home / Notícia / Nota / Janot livra Gleisi de novo inquérito no STF; agora é sobre fraude em eleições de 2014

Janot livra Gleisi de novo inquérito no STF; agora é sobre fraude em eleições de 2014

Veja o que noticiou a Época (destaque nossos):

A pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, o ministro Celso de Mello devolveu para a primeira instância da Justiça no Paraná o inquérito policial aberto que apura irregularidade atribuída à presidente nacional do PT, a senadora Gleisi Hoffmann, na campanha da petista ao governo do Paraná em 2014. De acordo com a denúncia, no dia 5 de outubro daquele ano, data do primeiro turno das eleições, uma juíza eleitoral noticiou ao Ministério Público que recebeu em seu celular a mensagem: “Se você tá pensando em votar no Beto só porque não gosta do Requião, peço o seu voto pra Gleisi Governadora Vote 13. No segundo turno você decide ou resp sair”. O caso foi enviado ao Supremo por envolver autoridade com prerrogativa de foro. Segundo Janot, porém, o inquérito não reuniu indícios mínimos da participação ou do conhecimento de Gleisi no envio de mensagens aos eleitores, por SMS, no dia do pleito.

Note que ao apresentar uma denúncia contra Aécio Neves há alguns meses, Janot utilizou uma foto na qual o tucano aparecia em sua residência pessoal, junto de colegas de partido, postada em suas redes sociais. Segundo Janot, esta foto evidenciava que Aécio estava praticando “tráfico de influência”…

Ou seja, há um peso e duas medidas para o PGR. Contra os inimigos do PT, qualquer coisa serve de prova. Aos amigos do partido, nunca é prova suficiente.

Sobre RedatorJornalivre

Leia também

Gleisi diz que Lula “vai ganhar eleição preso”… então porque esperneiam tanto?

Em mais um ridículo discurso no Senado, Gleisi Hoffmann afirmou que a Globo (sempre ela) …

2 comentários

  1. Ele tem pouco tempo. Está livrando a cara dos petistas até deixar o cargo.

  2. Isso e verdade!!! Então porque estão sacrificando Gilmar Mendes??? Janot fez a mesma coisa com amigos dele. Livrou-os de serem condenados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *