Home / Notícia / Nota / Servidora é presa em flagrante por esquema de propina ligado ao MST

Servidora é presa em flagrante por esquema de propina ligado ao MST

A Polícia Federal deteve em flagrante uma funcionária do Incra, em Brasília, que cobrava propina para a regularização de assentamentos rurais, em parceria com o líder do MST na capital federal e o presidente da federação de trabalhadores da agricultura, de acordo com o site O Antagonista. A operação foi resultado de ação controlada autorizada pela 10.ª Vara da Justiça Federal no Distrito Federal.

Os policiais federais destacados para a ação, além de cumprirem um mandado de prisão preventiva contra uma servidora, também prenderam outra funcionária do Instituto em flagrante. As duas haviam acabado de receber R$ 12 mil para emitir parecer favorável no caso de um lote no assentamento Mimoso, Arinos/MG.

Após as prisões os policiais federais cumpriram também dois mandados de busca e apreensão, um no local de trabalho e outro na residência de uma das presas. Uma das presas era assistente de administração do Incra e tinha a atribuição de emitir pareceres para a regularização de lotes destinados à Reforma Agrária. Toda a ação foi documentada em vídeo pela PF e a numeração das notas registrada. Com informações O Estado de São Paulo.

Assista o flagrante:

Sobre RedatorJornalivre

Leia também

Gravíssimo: Mônica Bergamo “antecipa” resultado do julgamento do STF sobre Gleisi

Mônica Bergamo, adiantando na Band, disse que Gleisi tem votos a seu favor e que …

3 comentários

  1. Márcia Martinho

    Por que não são mencionados os nomes, do líder do MST e do presidente da federação do agricultores, envolvidos? Para casos de corrupção como este, toda a publicidade é necessária.

  2. tem fonte? pq o antagonista não apresentou. só pra verificar se é verdade mesmo. não duvido, mas tem que ter fonte e não tem. isso é irresponsável.

  3. Uhuuuu… mete os cravos PF!
    Tem que prender estes mortadelas também, já que só há corrupção porque exite um corruptor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *