Home / Notícia / Odebrecht doou menos para Dilma em 2010 porque já tinha separado saldo de propina para Lula

Odebrecht doou menos para Dilma em 2010 porque já tinha separado saldo de propina para Lula

O ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, afirmou em audiência com o juiz Sergio Moro que a empreiteira doou menos à campanha de Dilma Rousseff de 2010 porque provisionou saldo de propina da empresa na “Conta Amigo”, atribuída ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No depoimento prestado nesta segunda-feira, Odebrecht também disse que ao final do segundo mandato do petista, o crédito de vantagens indevidas da Presidência da República foi automaticamente reservado para uso de Lula. O ex-presidente nega as acusações.

“Eu estava preocupado que, para a doação de 2010, nós não íamos fazer grandes doações, porque já tinha gasto tudo. E o que eu não tinha gasto estava sendo provisionado na conta do Amigo”. disse o ex-presidente da Odebrecht, que continuou:

“O saldo que eu tinha, grande parte dele, quando chegou em 2010, antes da campanha, eu já tinha contribuído com todos os pagamentos que eles pediram antes. E o saldo eu coloquei na conta do Amigo, então a gente acabou não fazendo muita doação para a Dilma em 2010.”

Odebrecht também afirmou que Lula sabia da existência da planilha “Italiano”, referente a recursos destinados ao PT, que era mantida pelo Setor de Operações Estruturadas, conhecido como “Departamento da Propina”.

O depoimento foi prestado na ação que Lula é réu sob a acusação ter sido beneficiado com propinas da Odebrecht, como a compra de um prédio para o Instituto Lula, que não chegou a ser usado, e de uma cobertura vizinha ao apartamento em que o petista mora em São Bernardo do Campo, no ABC paulista.

Em nota, a defesa disse que o empresário não citou nenhuma contrapartida oferecida por Lula a Odebrecht em troca das supostas vantagens recebidas. O Instituto Lula informa que o depoimento de Marcelo Odebrecht comprova que nem o Instituto, nem Lula nunca pediram ou receberam qualquer terreno da Odebrecht. O Instituto disse ainda que nunca comprou, usou ou recebeu qualquer terreno da Odebrecht. O Instituto funciona em uma casa adquirida em 1991 no bairro do Ipiranga.

As informações são do jornal O Globo.

Sobre RedatorJornalivre

Leia também

PT quer fazer “controle social” do Judiciário

Fernando Haddad segue sua jornada de entrevistas como dublê de coordenador de programa de governo …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *