Home / Notícia / Por que a extrema esquerda está evitando tocar no caso do prédio invadido que pegou fogo em SP?

Por que a extrema esquerda está evitando tocar no caso do prédio invadido que pegou fogo em SP?

Em São Paulo a invasão de prédios públicos ou privados é um negócio lucrativo. Ativistas de extrema-esquerda transformaram isso em fonte de renda desde a administração da petista Marta Suplicy, quando foi criada a Justiça de Habitação e Urbanismo, uma unidade do MP que só existe em São Paulo.

Como funciona?

Ativistas de extrema-esquerda, como Guilherme Boulos e afins, incitam pessoas pobres a invadirem prédios a fim de gerar pressão em cima do Ministério Público. Com a pressão o poder público acaba pagando para que as pessoas saiam do imóvel, que muitas vezes pertence a figurões ligado ao poder que saem igualmente no lucro.

O incêndio que derrubou um edifício e abalou outras três construções nesta madrugada, no centro de São Paulo, foi provavelmente causado por condições ruins de moradia e instalações extremamente precárias. Ao menos é o que se tem de suspeitas até agora. Por sorte o número de mortos e feridos foi relativamente baixo comparado ao que poderia ter sido.

Naturalmente, a extrema-esquerda não está querendo tocar no assunto. Querem varrer logo para baixo do tapete.

Sobre RedatorJornalivre

Leia também

Ciro quer um “polo de centro-esquerda” para sua candidatura

No encerramento da sabatina de Folha, UOL e SBT com Ciro Gomes, o candidato do …

Um comentário

  1. Lucratividade e Rentabilidade. Essa é a única preocupação desses movimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *