Home / Notícia / Subprocurador questiona Aécio, sobre dinheiro vivo: “por que não uma TED?”

Subprocurador questiona Aécio, sobre dinheiro vivo: “por que não uma TED?”

Carlos Alberto Carvalho de Vilhena, subprocurador da República, destaca que há “farto material probatório” e que, por essa razão, ao invés de contestar os fatos, a defesa de Aécio Neves tenta invalidar as provas da delação da JBS.

O representante da PGR diz que o senador tucano alega que o pedido de 2 milhões de reais se tratou de “empréstimo pessoal, e não de vantagem indevida”.

Se a transação não fosse resultado de vantagem indevida, afirma Carlos Alberto, “o dinheiro teria sido transferido por meio do sistema bancário, da conhecida TED, e não em malas repletas em dinheiro vivo”.

O subprocurador diz, também, não haver dúvidas de que Joesley Batista só aceitou pagar a quantia para Aécio “porque ele é senador da República”.

Sobre RedatorJornalivre

Leia também

Freixo usa a narrativa de que “nem todo impeachment é golpe”

Em campanha para aprovar o impeachment do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *