Home / Opinião / Aliada de Dilma, Katia Abreu manobra para livrar amigos de contribuição previdenciária

Aliada de Dilma, Katia Abreu manobra para livrar amigos de contribuição previdenciária

por Rafa Silva

 

Farinha pouca, meu pirão primeiro“. Essa parece ser a lógica reinante em boa parte do sistema político brasileiro. Num momento em que o governo Temer anuncia um tremendo déficit para 2018 – em especial pela pressão exercida pelos gastos previdenciários -, grupos de pressão como associações do Funcionalismo e a elite do setor rural fazem tremendo esforço para manter seus privilégios às custas do restante da população.

Nesta terça feira (12), o Senado promulgou uma “PRS” – Projeto de Resolução do Senado – , tratando da questão do Funrural. O tema, espinhoso, versa sobre a cobrança de valores previdenciários de grandes empresários do setor agrário que ingressaram com ação, alguns anos atrás, para não pagarem sua parte à previdência social. Neste ano, 2017, a liminar que garantia seu inadimplemento caiu, gerando protestos e mobilizações.

A PRS – encabeçada por Katia Abreu, aliada de Dilma Rousseff -, é um escárnio com os pequenos produtores que pagaram em dia suas contribuições e os milhões de brasileiros que serão afetados por uma reforma da previdência que se avizinha. Além disso, especialistas dizem que a medida é mera demagogia para que Kátia Abreu recupere seu prestígio dentro do setor agrário.

Ou seja: ao mesmo tempo que acena com medidas populistas que não funcionam, a Senadora também brinca com um rombo multibilionário que hoje coloca o país em cheque.

São ações como essa que facilitam o trabalho da esquerda de culpar os empresários pelo rombo da previdência…

 

 

 

 

Sobre RedatorJornalivre

Leia também

“Gleisi lança suspeitas sobre furto a veículo, mas não explica o fato de passaporte de Lula estar em Curitiba”

Como esperado, o Partido dos Trabalhadores vem emitindo sinais ambivalentes em Curitiba, onde encontra-se preso …

Um comentário

  1. Gostei do texto, porém tem um erro grave. Em cheque? Não seria xeque?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *