Home / Opinião / Coluna / Por que Janot demorou tanto para divulgar a conversa entre Joesley e Saud?

Por que Janot demorou tanto para divulgar a conversa entre Joesley e Saud?

por Roger Scar

Na noite de ontem o Procurador Geral da República resolveu que era hora de divulgar os áudios das conversas entre Joesley Batista e Ricardo Saud. O que quase ninguém se deu conta é de que estas conversas eram antigas, e se eram antigas já estavam nas mãos da PGR desde a época em que esta assinou o acordo de impunidade dos irmãos Batista.

Sendo assim, deve-se questionar: Por que demorou tanto, Janot?

A resposta, no entanto, é muito simples.

Janot não esperava que Temer fosse durar no cargo após aquele vazamento da conversa entre ele e Joesley no Palácio do Jaburu. Então ele esperava que o presidente renunciasse ou fosse afastado do cargo, porque em seguida haveria a escolha para o próximo a ocupar seu cargo na PGR. Na lista tríplice, Temer tinha como escolher entre os favoritos, que eram Nicolao Dino (comunista e aliado de Janot) e Raquel Dodge, ligada à família Sarney.

Temer obviamente escolheria Raquel, como aconteceu. Com as denúncias apresentadas por Janot, ele esperava que Temer caísse antes disso. Porém, não aconteceu. Temer resistiu no cargo e construiu sólida aliança no Congresso, evitando que sua denúncia fosse aceita.

Diante de tal situação, Janot se viu em um problema: Raquel Dodge ainda vai assumir o seu cargo agora, em setembro. A nova PGR terá acesso a todas as informações que estavam no acordo, terá acesso a todos os dados. Se Janot não divulgasse essas conversas antes de sair, cairia nas mãos dela e poderiam ser usadas contra ele. Na atual situação, com a divulgação feita por ele próprio, o jogo muda. Agora ele pode se fazer de vítima de uma armação e tentar jogar toda a culpa para cima de seus comparsas.

É simples, não é?

Sobre RedatorJornalivre

Leia também

Há um Brasil doente que apoia tortura e perseguição a opositores, Sakamoto faz parte dele

por Roger Scar O blogueiro petista Leonardo Sakamoto, que escreve para o UOL, batizou um …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *