Home / Opinião / Enquanto sindicatos de professores defendem Lula, profissionais são agredidos e ensino sofre com décadas de descaso

Enquanto sindicatos de professores defendem Lula, profissionais são agredidos e ensino sofre com décadas de descaso

Após a professora Marcia Friggi denunciar em seu Facebook a agressão que sofreu de um aluno que, segundo ela, seria um adolescente de 15 anos; sua publicação viralizou e gerou comoção em todos os brasileiros, insatisfeitos com a escalada de violência dos últimos anos no país, inclusive em sala de aula.

Episódios como esse se sucedem diariamente em todos os Estado brasileiros, com especial negligência do poder público e dos sindicatos de professores que, durante os 13 anos do período petista, quando nossa educação desabou em todos os rankings avaliativos da área, preocupou-se apenas em atacar governadores e adversários políticos do petismo e, mais recentemente, em sair às ruas em defesa de Lula.

Com arrecadação bilionária, os sindicatos de professores deveriam se preocupar em cumprir sua função: a de defender trabalhadores e trabalhadoras da área a qual supostamente representam. Ao contrário, optam pelo caminho da politicagem suja, em defesa de centrais sindicais e partidos políticos.

O falido modelo sócio-construtivista na educação pública, responsável por grande parte da decadência do ensino nacional, é protegido pelos sindicatos alinhados aos ideais marxistas de Paulo Freire e colabora para que a escalada do terror em sala de aula chegue a esses níveis, cada vez mais perigosos. A professora Márcia Friggi, infelizmente, é mais uma vítima desse sistema que, talvez, ela mesma insista em defender.

Sobre RedatorJornalivre

Leia também

Ciro Gomes faz o diabo para herdar os votos de Lula

Em palestra na Câmara de Comércio Brasil-Suécia, em Estocolmo, Ciro disse que a ideia de …

7 comentários

  1. Quanta bobagem, quem escreveu isto é uma pessoa que está fora do universo do sistema educacional, onde a escola nada mais é que uma representação do que está ocorrendo dentro da sociedade. O texto está querendo direcionar um problema social para um contexto político maniqueísta.

  2. Não funciona a medida socioeducativa. Qual a porcentagem que se recuperaram com isso? Ninguém nunca informou sobre quem se recuperou e passou a viver uma vida digna. Balela isso. Conversa pra boi dormir. Essa educação vem de BERÇO.

  3. Ensinou a cobra, ela mordeu.
    Nenhuma relação com o fato relatado, estou comentando outro canal, Animal planet.

  4. Essa turminha se merece! Não me envolvo em brigas de comunista com comunista.

  5. João Bertoncini

    Notem que essa mesma “vítima” defende essas ações, e só acha errado que sendo ela apoiadora de agressões, sofra com o que ama.
    Tanto é que foi fazer textão no Facebook, mas NUNCA buscará reparação judicial, quanto a uma ação que ela não quer ver extinta, que é reação física de destruição do que não se gosta.

  6. NÃO DIGA trabalhadores e trabalhadoras da área PARECE COMUNISTA FALADO.

    • Hãaaaa?!

      Quer dizer que se eu usar a palavra social, trabalhador e operário , eu sou comunista!
      Que sandice é essa?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *