Home / Opinião / Procurador diz que Joesley escondeu crimes em delação e complica Janot mais uma vez

Procurador diz que Joesley escondeu crimes em delação e complica Janot mais uma vez

O procurador Ivan Marx, do Ministério Público Federal (MPF) em Brasília, afirmou que o empresário Joesley Batista e executivos do Grupo J&F esconderam, em suas delações premiadas, crimes praticados no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Apesar da imunidade penal obtida pelos delatores no acordo com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, Marx disse que pretende apresentar denúncia pelos delitos e cobrar R$ 1 bilhão a mais da companhia por prejuízos ao erário.

Responsável pela Operação Bullish, que mira nos negócios do banco com o grupo, Marx afirmou que as fraudes em aportes bilionários feitos no conglomerado estão demonstradas na investigação. “Onde eu digo que eles estão mentindo é no BNDES. A Bullish apontou mais de R$ 1 bilhão de problemas em contratos. Os executivos vão lá, fazem uma delação, conseguem imunidade e agora não querem responder à investigação”, disse ao Estado.

As informações são do blog do Noblat.

Sobre RedatorJornalivre

Leia também

Há um Brasil doente que apoia tortura e perseguição a opositores, Sakamoto faz parte dele

por Roger Scar O blogueiro petista Leonardo Sakamoto, que escreve para o UOL, batizou um …

2 comentários

  1. Como disse Abraham Lincoln:
    “Você pode enganar uma pessoa por muito tempo; algumas por algum tempo; mas não consegue enganar todas por todo o tempo.”

    Enganot está frito.

  2. 1) Deve-se reconhecer que nem todos os procuradores federais são mínions janotistas, como é aquele procurador Homem-Aranha.
    O procurador Ivan Marx simplesmente ratificou o que todos sabiam: o Joesley Bandido queria imunidade total porque realizou outras maracutaias bilionárias.
    Até o Janô conhecia o passado criminoso do Joesley – procuradores não conversam entre eles dos casos em que atuam? – , mas achou que valia a pena a relação custo (perdoar o bandidão) benefício (derrubar o presidente Temer).
    Então o Janô simplesmente prevaricou, quando perdoou o Joesley Bandido.
    Deveria ser expulso da PGR, a bem do serviço público.
    2) Um Joesley Bandido na vida de qualquer procurador federal faz muita diferença. E ser idolatrado por políticos e celebridades da extrema esquerda, nem se fale.
    O agente público defensor da justiça passa rapidamente de herói a vilão.
    O Janô agiu como o procurador Harvey Dent (Duas Caras), amigo/inimigo do Batman.
    Conseguiu enganar durante certo tempo, mas se revelou após o caso Sérgio Machado Transpetro e filhos, totalmente impunes após o sujeito gravar os maiorais do PMDB.
    Resultado para o Brasil do acordo: zero.
    O Janô repetiu o mesmo esquema com o Joesley Bandido, uma impunidade megabilionária.
    Resultados para o Brasil do acordo: tentativa de golpe (derrubar o Presidente da República), crise institucional desnecessária, fortalecimento da extrema esquerda, imagem internacional da carne brasileira novamente no fundo do poço e bilhões de dólares que o Joesley Bandido jamais devolverá.
    Um Janô na vida do Brasil fez muita diferença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *